ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (GH), A DEFICIÊNCIA DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (GH) NA INFÂNCIA LEVA AS CRIANÇAS À BAIXA ESTATURA, CRIANÇAS QUE PODEM NASCER COM DEFEITOS FÍSICOS DA FACE E DO CRÂNIO, COMO O LÁBIO LEPORINO OU FENDA PALATINA, PODERÃO PROVAVELMENTE, TER A PRODUÇÃO DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (GH) DIMINUÍDA.

Como resultado da deficiência de hormônio de crescimento (GH), podemos ter na infância a estatura anormalmente baixa. O hormônio do crescimento (GH) é produzido na glândula pituitária, que está localizado na base do cérebro. Diferentes hormônios são produzidos no cérebro, e a glândula pituitária produz o hormônio de crescimento (GH), que é muito necessário durante toda a nossa vida, desde a fase intra-uterina e ela pode produzir o hormônio de crescimento (GH) de forma insuficiente.
hormônio do crescimento (GH) entra no sangue e estimula o fígado a produzir um hormônio chamado fator de crescimento semelhante à insulina (IGF-1), que desempenha um papel fundamental no crescimento infantil. Estatura anormalmente baixa na infância pode ocorrer se o hormônio de crescimento (GH) não for produzido numa quantidade normal. Na maioria das vezes, nenhuma causa evidente de deficiência de hormônio de crescimento (GH) é encontrada. A deficiência de hormônio de crescimento (GH) pode estar presente desde o nascimento (congênita); A deficiência de hormônio de crescimento (GH) pode também se desenvolver após o nascimento, como resultado de uma lesão, condição médica ou tumor cerebral. Crianças com defeitos físicos da face e do crânio, como o lábio leporino ou fenda palatina , poderão, provavelmente, ter a produção de hormônio de crescimento (GH) diminuída. A deficiência de hormônio de crescimento (GH) normalmente não é passada de pai para filho. A deficiência de hormônio de crescimento (GH) também pode ser diagnosticada em adultos, principalmente da somatopausa (época em que diminuem todos os hormônios) em diante, quando todos os nossos hormônios podem sofrer declínio natural, em torno dos 45 a 50 anos de idade em diante.
Crianças com deficiência de hormônio de crescimento (GH) tem um ritmo lento de crescimento, geralmente menos de 2 cm por ano. O lento crescimento pode não aparecer até que a criança tenha de 2 a 3 anos de idade. A criança apresentará uma estatura muito inferior à média da estatura das outras crianças de mesma idade e sexo. Crianças com deficiência de hormônio de crescimento (GH) ainda têm proporções corporais normais, bem como inteligência normal. No entanto, seu rosto parece muitas vezes mais jovem do que de outras crianças de mesma idade.
Elas também podem ter um corpo gordinho, isto porque, geralmente nascem pequenos para a idade gestacional (PIG), porque a deficiência de hormônio de crescimento (GH) pode vir desde a fase intra-útero. Quando as crianças estão mais velhas, a puberdade pode demorar mais, uma vez que, existe um sinergismo entre o hormônio de crescimento (GH) e os hormônios sexuais.          
AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra.Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM: 28930
COMO SABER MAIS:
1. Qual glândula é responsável pela produção de hormônio de crescimento (GH) e onde se localiza?
http://crescimentojuvenil.blogspot.com
2. Crianças com deficiência de hormônio de crescimento ainda têm proporções corporais normais, bem como inteligência normal?
http://crescersim.blogspot.com 
3. Elas também podem ter um corpo gordinho, isto porque, geralmente nascem pequenos para a idade gestacional (PIG), porque a deficiência de hormônio de crescimento pode vir desde a fase intra-útero? 
http://crescercriancasjuvenil.blogspot.com 
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.
Referências Bibliográficas:
JS Parks, EI Felner. Hipopituitarismo. In:, RM Behrman RE, Jenson HB Stanton, BF eds Kliegman Pediatria Nelson. Textbook of. 18 ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier: cap 558. Reiter EO, ​​Rosenfeld RG. Normal e crescimento anormal. In: Melmed, S Polonsky, KS Larsen, PR eds. HM Kronenberg Williams Textbook of Endocrinology. 11 ª ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier, cap 23. Cook MS, KC Yuen, BM Biller, SF Kemp, ML Vance, Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos.Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos orientações médicas para a prática clínica para o uso do hormônio do crescimento em adultos com deficiência de hormônio de crescimento e transição dos pacientes. Neil K. Kaneshiro, MHA, MD, professor clínico assistente da pediatria, universidade da Faculdade de Medicina de Washington. Também revisado por David Zieve, MD, MHA, Diretor Médico, o ADAM, Inc.- Atualization: 2010/07/26.
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em CRESCIMENTO INFANTIL

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: TRATAMENTO COM HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (GH), AS DIFERENÇAS DE CRESCIMENTO EM RESPOSTA AO GH QUE APARECEM EM CRIANÇAS DE BAIXA ESTATURA NA FASE PRÉ-PUBERAL COM DEFICIÊNCIA DE GH E AS CRIANÇAS QUE TÊM BAIXA ESTATURA IDIOPÁTICA (CAUSA DESCONHECIDA).

O hormônio do crescimento (GH) tem outros efeitos além de promover o crescimento linear em crianças. Tem efeitos sobre o metabolismo ósseo e a densidade mineral óssea, a sensibilidade à insulina, proteínas e metabolismo lipídico (colesterol total, LDL-colesterol, HDL-colesterol, triglicérides), homeostase (equilíbrio)de sódio e composição corporal em adultos. Entretanto, embora alguns estudos tenham investigado os efeitos metabólicos do GH em crianças, muitos consideravam as mudanças metabólicas que ocorrem durante o tratamento com GH devido a efeitos secundários sobre o crescimento. No entanto, há claros benefícios metabólicos em crianças recebendo tratamento com GH. Por exemplo, um aumento na massa corporal magra, durante o tratamento com GH tem sido relatada em crianças pré-púberes GH-deficientes, e em crianças nascidas pequenas para a idade gestacional (PIG), um aumento significativo e normalização da massa corporal magra é encontrado em comparação com controles sem tratamento, juntamente com uma melhoria do risco cardiovascular com base nas alterações no perfil lipídico (colesterol total, LDL-colesterol, HDL-colesterol, triglicérides). Aumenta no soro o fator de crescimento semelhante à insulina-I (IGF-I), em resposta a níveis de GH que foram correlacionadas com resposta-1 do crescimento anual , enquanto diminui os níveis de leptina (hormônio produzido pelos adipócitos, ou seja células de gordura), como consequência da resposta do tecido adiposo ao GH (o GH diminui a gordura). Além disso, os níveis de insulina se correlacionam com a resposta ao crescimento em algumas crianças pré-púberes, mas não com todas as crianças. Poucos estudos avaliaram os resultados metabólicos do GH em crianças com baixa estatura idiopática (sem causa conhecida). Os resultados metabólicos são similares a estes relatados em crianças com deficiência de GH (DGH) convencional quando doses de GH, tais como 33 mg/kg/dia são utilizados. As crianças com baixa estatura idiopática precisam de uma maior dose de GH do que as crianças com DGH convencional para uma resposta significativa de crescimento. Para se otimizar os resultados de estatura e metabólicos na clínica diária, deve-se fazer um estudo para avaliação da dose ideal de GH que deve ser utilizada. Nós temos relatado previamente que a variabilidade observada nas respostas de crescimento pode ser reduzida por individualizar o tratamento com GH, estimando a resposta do GH de acordo com nossas observações. Estas observações tornam possível prever a resposta de crescimento em crianças que recebem a terapia individual de GH. Assim, a adaptação à dose de GH implica que as crianças que têm previsão para responder mal GH devem receber doses maiores do que as que têm previsão de uma boa resposta ao GH. 
AUTORES PROSPECTIVOS 
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM:28930
COMO SABER MAIS: 
1. O hormônio do crescimento (GH) tem outros efeitos além de promover o crescimento linear em crianças? 
http://crescercriancasjuvenil.blogspot.com 
2. Há benefícios metabólicos em crianças que recebem GH, por ex., como aumento na massa corporal magra, durante o tratamento com GH tem sido relatada em crianças pré-púberes GH-deficientes, e em crianças nascidas pequenas para a idade gestacional (PIG), é encontrado um aumento significativo e normalização da massa corporal magra?
http://crescermais2.blogspot.com
3. Há diminuição dos níveis de leptina (hormônio produzido pelos adipócitos, ou seja células de gordura), como consequência da resposta do tecido adiposo ao GH (o GH diminui a gordura)? 
http://metabolismocontrolado.blogspot.com
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.
Referências Bibliográficas: 
Ralph Decker, Kerstin Albertsson Wikland; Kriström Berit; Nierop FM Andreas; Jan Gustafsson; Bosaeus Ingvar; Fors Hans; Hochberg Ze’ev; Dahlgren Jovanna 
Publicado em: 2010/11/18; Clin Endocrinol. 2010, 73 (3) :346-534. © Blackwell Publishing 2010. 
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305 
Nextel: 55 (11) 7717-1257 
ID:111*101625 
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122 
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002 
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com 
Site Clinicas Caio 
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Häägen Brazil 
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br 
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em CRESCIMENTO INFANTIL

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: A PRODUÇÃO DO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO (HGH) – SOMATOTROFINA OU COMPLEXO 191 COMEÇA NA FASE INTRA-ÚTERO, PASSA PELA FASE DE RECÉM NASCIDO, INFÂNCIA, JUVENTUDE E ADOLESCÊNCIA, PERSISTE NO AMADURECIMENTO DE TODO O ORGANISMO DURANTE ESSAS FASES DO SER HUMANO, ENTRETANTO NOS ACOMPANHA NA FASE ADULTA ONDE POR VOLTA DOS 50 ANOS ESTÁ COM NÍVEIS BAIXOS.

O hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH) possui um eixo de atividade metabólica no organismo, é importante desde a fase intra – útero (pré natal) para regular o desenvolvimento e crescimento fetal, como por exemplo, desde a fase metabólica onde ocorre o amadurecimento do metabolismo até a parte cardiovascular. Em geral, quase todos os nascidos de tamanho pequeno para a idade gestacional (PIG) está associado à diminuição da produção natural em quantidade correta do hormônio em crescimento (somatotrofina – HGH) seja no sexo masculino ou feminino, começando desde a primeira fase até a fase juvenil e adolescência, e conforme vão se desenvolvendo, o risco de apresentarem doenças na fase adulta é muito significativo, em maior intensidade a hipertensão arterial, sobrepeso, obesidade, obesidade abdominal, intra-abdominal, visceral, central, síndrome metabólica, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. O funcionamento do eixo responsável pelo hormônio do crescimento humano (somatotrofina – HGH) é influenciado pela idade, pela genética, composição corporal e amadurecimento sexual. A secreção do hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH) vai desde a fase intra-útero até a melhor idade, sendo que a produção do hormônio de crescimento (somatotrofina – HGH) é maior na fase intra-útero e declina até a melhor idade de forma significativa; começa em torno de 2.000 UI e em torno de 50 a 55 anos é de 300 UI, é uma curva descendente e progressiva, sendo que na melhor idade deve ocorrer a somatopausa. A infância é caracterizada por um aumento rápido na velocidade do crescimento, no período da puberdade o hormônio de crescimento é potencializado pela produção dos hormônios sexuais. O controle do crescimento fetal e do neonato é bastante complexo isto porque ele está relacionado a fatores genéticos, nutricionais, hormonais e ambientais, se atribui que o aumento de peso durante o nascimento pode interferir no crescimento durante as outras fases. O crescimento infantil precoce está relacionado a uma continuidade do crescimento do feto e como já sabemos o crescimento durante a infância não é proporcional dependendo de fatores genéticos, nutrição, ambientais, e possíveis doenças, além de possível deficiência da produção do hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH). Assim é importante que todas as ações preventivas sejam tomadas para que não venha a ser necessário a ocorrência de atitudes terapêuticas mais incisivas, isto porque o crescimento só ocorre quando a criança está em condições ideais com todos os parâmetros dentro da normalidade.
AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra.Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM: 28930
COMO SABER MAIS:
1.O hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH) possui um eixo de atividade metabólica no organismo, é importante desde a fase intra – útero? 
http://crescercriancasjuvenil.blogspot.com 
2.Em geral, quase todos os nascidos de tamanho pequeno para a idade gestacional (PIG) está associado à diminuição da produção natural em quantidade correta do hormônio em crescimento? 
http://crescermais2.blogspot.com 
3.A produção do hormônio de crescimento (somatotrofina – HGH) é maior na fase intra-útero e declina até a melhor idade de forma significativa?
http://metabolismocontrolado.blogspot.com
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO 
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA. 
 Referências Bibliográficas:
Ralph Decker, Kerstin Albertsson Wikland; Kriström Berit; Nierop FM Andreas; Jan Gustafsson; Bosaeus Ingvar; Fors Hans; Hochberg Ze’ev; Dahlgren Jovanna Publicado em: 2010/11/18; Clin Endocrinol. 2010, 73 (3) :346-534. © Blackwell Publishing 2010.
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em CRESCIMENTO INFANTIL

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: CRESCIMENTO INFANTIL JUVENIL-UMA PERGUNTA SEMPRE PRESENTE NO QUESTIONAMENTO DOS PAIS A RESPEITO DOS RISCOS NO TRATAMENTO DE SEUS FILHOS COM RELAÇÃO A POSSÍVEIS EFEITOS NOCIVOS EM DECORRÊNCIA DA CORREÇÃO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO(HGH) SOMATOTROPINA OU COMPOSTO 191,E SUA SEGURANÇA.

A literatura mostra que o tratamento é seguro mesmo nas situações mais graves quando crianças apresentam déficit de GH após o tratamento com radioterapia de crânio nos tumores  do SNC. Trata-se de um procedimento seguro e sem riscos de recidiva da doença naqueles pacientes que receberam alta da doença de base. Isto apenas comprova que pacientes com tratamento adequado e completo não deve levar seus pais a preocupações maiores, até porque a substância utilizada é bio-idêntica foi desenvolvida atráves de engenharia genética, grande passo do final do século 20 que é o DNA RECOMBINANTE. Até  o final da década quando o avanço da engenharia genética por DNA-Recombinate, entrou em sena, eliminando a utilização precária de extrato de Hipófise Humana onde o organismo poderia rejeitar tais extratos por serem de diversos individuos, os médicos estavam muito limitados com relação ao tratamento do deficiente em crescimento, entretanto após a eliminação em laboratório deste risco significativo, milhões de pessoas tem utilizado este avanço científico, devido não ser possível a eliminação através do DNA do fator identificador. Este fato representou um avanço monumental para os pacientes com deficiência, além de se descobrir outras aplicações , inclusive em adultos.
Autores Prospectivos
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra.Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM: 28930
COMO SABER MAIS:
1.Crianças que são pequenas para idade gestacional, terão problemas após o nascimento?  
http://crescersim.blogspot.com
2.Crianças e infanto juvenil deve tomar HGH hormônio de crescimento para corrigir deficiência ? 
http://crescimentojuvenil.blogspot.com
3.Obesidade interfere no crescimento ? 
http://drcaiojr.site.med.br/
REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA:
J Pediatr Clin Endocrinol. 2010 Jun; 23 (6) :535-51.
Revisão sistemática da eficácia clínica de (somatropina) em crianças com curta
estatura. Loftus J, R Heatley, C Walsh, Dimitri P. 
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Sites Importantes
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
www.vanderhaagenbrazil.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em CRESCIMENTO INFANTIL

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: O QUE OS PAIS PODEM FAZER PARA AJUDAR AS CRIANÇAS, VALORIZANDO MAIS, AS QUE APRESENTAM BAIXA ESTATURA OU DEFICIÊNCIA DO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO (SOMATOTROFINA – HGH).

Existem várias maneiras para os pais poderem ajudar as crianças com baixa estatura ou com deficiência do hormônio de crescimento (somatotrofina – HGH) a lidar com seus problemas. Assim que for feito o diagnóstico você deve procurar um endocrinologista para orientá-lo sobre as primeiras atitudes a serem tomadas para auxiliar a criança. É importante ser avaliado se há problemas com a inteligência, com o desempenho escolar, se apresenta dificuldade de aprendizagem, transtornos de déficit de atenção ou problemas de comportamento. O psicólogo da escola  pode avaliar se existe algum tipo de problema e oferecer soluções possíveis. Também estar sempre em contato com a escola da criança para acompanhar o progresso escolar ou eventuais sinais de problemas sociais ou de comportamento, geralmente ajudam muito antes que elas saiam do controle. A construção da auto-estimapositiva da criança é muito importante.  Procure usar todas as oportunidades para elogiar e incentivar a criança, não criticar, ser sarcástico, ou negativo. Encontrar pontos fortes na criança e trabalhá-los. Geralmente as crianças de baixa estatura ou com deficiência do hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH) acham que não podem praticar esportes, mas ao contrário, devem praticar esportes de baixo impacto, como a natação, tênis, citando apenas alguns. Se a criança tem um bom senso de humor, estimulá-la a desenvolvê-lo, elogiá-la e falar positivamente sobre estas suas qualidades. Se a criança é criativa, gosta de escrever, ler prosa ou verso, gosta de tocar música, estimule-a a se dedicar ao que gosta de fazer no tempo ocioso, ampliando esses dons. Se a criança é especialmente compassiva para com os outros, informá-la o que você vê, e que admira muito esta qualidade.  Se esforce em construir uma auto-estima positiva que a ajudará a enfrentar os efeitos negativos da rejeição das outras pessoas. Certifique-se de que a criança entenda completamente o que é esperado da terapia de reposição do hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH).  Algumas observações sugerem que as crianças e os pais têm expectativas irreais em relação à estatura com a reposição do hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH). Eles esperam muito, acreditando que o tratamento vai fazer grandes diferenças na estatura imediatamente. Este não é o caso e pode levar a algumas decepções devido a estes equívocos uma vez que não sejam corretamente esclarecidos. Deve-se sempre ter em mente que o máximo de estatura que se pode conseguir é o que está geneticamente determinado, mesmo se fazendo o tratamento com reposição do hormônio do crescimento (somatotrofina – HGH).  Sempre questione o seu endocrinologista quando tiver alguma dúvida, e mesmo a criança deve questioná-lo se quiser, mesmo que se ache que as perguntas não são muito adequadas.
AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia
CRM: 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM:28930
COMO SABER MAIS:  
1. Existem várias maneiras para os pais poderem ajudar as crianças com baixa estatura ou com deficiência do hormônio de crescimento (somatotrofina – HGH) a lidar com seus problemas?
http://crescersim.blogspot.com
2. O psicólogo da escola  pode avaliar se existe algum tipo de problema e oferecer soluções possíveis?
http://crescercriancasjuvenil.blogspot.com
3. As crianças de baixa estatura ou com deficiência do hormônio do crescimento devem praticar esportes de baixo impacto, como a natação, tênis, etc, citando apenas alguns ?
http://crescermais2.blogspot.com 
AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.
Referências Bibliográficas:
Brian Stabler Ph.D. – Chapel Hill, Carolina do Norte.
Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 – Bloco D – 12º andar – Conj 121/122
Paraiso – São Paulo – SP – Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com
Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/
Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br
Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=
-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=
UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Publicado em CRESCIMENTO INFANTIL | Marcado com , , ,